Por que a grama do vizinho é sempre mais verde que a minha?

Há um ditado português que diz “Todo mundo só vê as pingas que tomo, mas não vê os tombos que levo.”, normalmente ele é dito sempre que alguém dá mais ênfase ao status social ou financeiro de alguém do que aos méritos e esforços que essa pessoa teve para alcançar o sucesso.

Mas por que para alguns a felicidade e as conquistas alheias são sinônimos de incômodo? Por que precisamos tanto nos comparar e nos inferiorizar? A grama do vizinho é realmente sempre mais verde? Talvez você esteja olhando demais para a dele, e está se esquecendo de regar a sua.

Mesmo aqueles que fazem parte de uma família, que cresceram ou nasceram juntos, são diferentes. Há diversidade em quase tudo o que conhecemos e quando não sabemos conviver ou aprender com ela, escolhemos simplesmente nos comparar. Poderíamos admirar em alguns as qualidades que ainda não temos, mas que estamos empenhados em desenvolver; poderíamos nos inspirar em figuras públicas de sucesso ou em pessoas que são importantes para nós, mas nos compelimos a enfatizar nossa insegurança, afirmando a nós mesmos que o outro é melhor, ou seja, nos colocamos em posição de desvantagem.

Ao olharmos para nossa própria vida, para o que temos, nosso conhecimento e nossas conquistas, é que percebemos o valor de tudo o que possuímos; só então nos damos conta de que não fazemos parte de uma competição em que ganha o mais feliz. Ao nos atentarmos para dentro de nós mesmos com mais ternura e menos austeridade, verificamos debilidades como baixa autoestima, insegurança, insatisfação, frustração, e infelicidade – emoções estas, características dos que precisam a todo o momento se comparar aos demais.

Mas como ser realmente ser feliz? Abaixo você confere algumas dicas de como desenvolver habilidades positivas que vê em outras pessoas:

Autoestima é sinônimo de amor-próprio

Há uma canção muito famosa produzida pelo cineasta Baz Luhrmann, em 1999, chamada Everybody’s Free (To Wear Sunscreen). Uma versão em Português foi lançada em 2003, na voz de Pedro Bial e intitulada deFiltro Solar. Em meio a tantas reflexões poderosas que a obra apresenta está a frase: “Curta seu corpo da maneira que puder. Use-o de todas as formas que puder. Não tenha medo dele ou do que as outras pessoas pensam dele. Ele é o maior instrumento que você possuirá.”.

O que nos torna tão interessantes são nossas diferenças: alguns são mais altos, outros mais atléticos, uns se emocionam com mais facilidade, enquanto outros se controlam demais… Portanto, s
e você se acha abaixo ou acima do peso, melhore o seu físico de acordo com a sua opinião. Se não está feliz, não se torture folheando revistas de moda e se comparando com modelos. Aprenda a amar o seu corpo como ele é ou busque alternativas saudáveis de tê-lo como você acredita ser o melhor.

Você é importante. Sinta-se assim!

Todos nós temos qualidades. Além disso, podemos desenvolver e aprimorar muitas outras. Manter o foco em suas conquistas, habilidades e em seu autodesenvolvimento é uma das peças chave para a felicidade.

Conheça-te a ti mesmo

A sentença acima, comumente atribuída a Sócrates, é um provérbio grego aplicado àqueles que tentam ultrapassar o que são, ou seja, por meio do autoconhecimento buscam aprimorar-se cada vez mais. O fato de se autoconhecer influencia positivamente ainda em aspectos de autoanálise em que você poderá identificar quais as atitudes que teve, como e quando elas deram certo.

Faça planos. Trace metas

Não tenha medo de propor mudanças ou falar sobre suas ideias. Não fique acanhado pensando o que as pessoas podem achar ou vão pensar. Lembre-se de que o medo é um dos aliados do comodismo. Por isso planejar-se pode ajudá-lo a conquistar seus objetivos como aquele curso de inglês ou dominar determinada ferramenta de informática.

Comemore suas vitórias

Vibrar com suas conquistas e tão importante quanto alcançá-las. Lembre-se sempre de seus resultados, analise os pontos que o fizeram chegar até ali, reconheça suas evoluções.

O lado bom das coisas

Quando algo acontecer fora do planejado, não desista. Mas também não ignore o aprendizado que colheu ao longo do caminho. Analise seu comportamento, veja as coisas por um novo ângulo. Há sempre lições valiosas em todos os contratempos com os quais nos deparamos.

É possível ser feliz, sobretudo, quando nos sentimos responsáveis pela nossa própria felicidade. A vida é repleta de caminhos e é possível refletir sobre ela de ângulos e perspectivas diferentes. Encare sua jornada de vida com mais otimismo. Conte com o apoio de um Coach especializado para identificar suas fortalezas e talentos. Conquiste a autoestima necessária para saber quem você é e aceitar o que é, tudo que tem e tudo o que faz.

Comente pelo Facebook